HomeNão somos carnívorosRazões para mudarCrueldadeDe olho na midiaEntre em contatoIntro em Flash

VOA
Leia mais
Não somos carnívoros


A pergunta começa de uma forma simples e direta:

  • Quando você vê um animal morto na estrada, você fica tentado à parar para um " lanchinho"?
  • A visão de um pássaro morto faz você salivar?
  • Você sonha em matar vacas com suas próprias mãos e comê-las cruas?
  • Ao ver as duas fotos abaixo, qual a sua reação? Repugnância ou salivação?

                                    
Ovelha morta na estrada                        Acidente com porcos na estrada

Se você respondeu não à todas as questões e se sentiu repugnado com as fotos, então PARABÉNS– você é um ser humano herbívoro normal– goste da idéia ou não.


A constituição humana não é carnívora. Humanos não têm as características físicas e nem os instintos dos carnívoros que os levam a matar animais e devorar suas carcaças.






Agora, leia abaixo os dados técnicos que vão te surpreender e fazer você pensar duas vezes antes de achar que você é um ser humano carnívoro.

Fisiologia Humana___________________

Biologistas têm estabelecido que animais que têm as mesmas características físicas também compartilham de uma mesma dieta. Comparando a anatomia de carnívoros com a nossa própria anatomia, fica mais do que claro que nós não fomos feitos para comer carne.

DENTES E UNHAS

Para iniciarmos o contraste entre a fisiologia dos humanos com os seres carnívoros, comece no início do sistema digestivo. Dentes, unhas e estrutura da mandíbula indicam que a natureza pretendeu que os seres humanos comessem baseados em uma dieta baseadas em plantas. Eles têm unhas muito menores e menos agressivas do que os animais carnívoros e dentes “caninos” ( caninos somente no nome... ) pateticamente menores. Em contraste, os carnívoros compartilham de garras afiadas e dentes caninos grandes capazes de cortar carne.

Embora os humanos
ensem que sejam e agem como carnívoros,  não somos carnívoros naturais. Quando matamos os animais para comê-los, eles acabam nos matando porque sua carne, que contém colesterol e gordura saturada, não deveria ser ingerida por humanos, que são herbívoros naturais". William C. Roberts, M.D., editor, American Journal of Cardiology


As mandíbulas dos carnívoros movem-se somente de baixo para cima, o que faz com que eles cortem grandes pedaços de carne de sua presa e a engulam por inteiro. Humanos e outros herbívoros conseguem mover suas mandíbulas para cima e para baixo e também de um lado para o outro, um movimento que os permite a mastigação de comidas fibrosas e plantas. Carnívoros não têm estes molares achatados. Se humanos fossem projetados para comer carne, teriam os mesmos tipos afiados de dentição e as garras dos carnívoros. Ao contrário, sua estrutura mandibular, os molares achatados e a falta de garras indicam que não fomos projetados para comer carne.

Dr. Richard Leakey, um renomado antropologista, resume desta maneira: “Você não pode cortar carne com suas mãos. Nossos dentes de trás não servem para cortar carne. Nós não temos dentes caninos grandes e não teríamos como lidar com fontes de comida que necessitassem destes grandes caninos”.




ACIDEZ ESTOMACAL

Após usar suas garras afiadas e dentes para capturar e matar suas presas, carnívoros engolem sua comida por inteiro, confiando em seus sucos gástricos extremamente ácidos para fazer a maior parte do trabalho de digestão. A acidez do estômago dos carnívoros na verdade é quem faz os grandes trabalhos de digerir a carne e matar as bactérias perigosas, bactérias estas que poderiam adoentar ou matar o carnívoro.

Conforme está ilustrado abaixo, nossos ácidos estomacais são muito mais fracos porque ácidos fortes não são necessários para digerir comida já pré mastigadas como frutas e vegetais. Comparando os ácidos dos carnívoros com herbívoros, fica óbvio que os humanos se encaixam na segunda categoria. Os humanos podem cozinhar a carne para matar um pouco das bactérias e facilitar na hora de mastigar, mas fica claro que os humanos, diferentemente dos carnívoros, são foram designados para digerir carne.

COMPRIMENTO DO INTESTINO

Evidências de nossa natureza herbívora também é encontrada no tamanho de nossos intestinos. Carnívoros têm um sistema intestinal e cólon que permitem a passagem da carne de forma relativamente rápida, antes que a carne tenha alguma chance de apodrecer e causar doenças. Humanos, por outro lado, têm sistema intestinal muito mais longo que dos carnívoros. Assim como outros herbívoros, intestinos longos permitem que o corpo leve mais tempo para “quebrar” fibras e absorver os nutrientes de uma dieta de um não carnívoro.




O longo sistema intestinal humano na verdade é um fato de alto risco para aqueles que comem carne. A bactéria na carne acabam tendo tempo de sobra para se multiplicar durante a longa viagem pelo intestino, e a carne começa a apodrecer enquanto ainda passa pelo intestino. Muitos estudos também mostraram que a carne causa câncer de cólon em humanos.

Comparando a nossa anatomia fica ilustrado o fato de que o corpo humano foi contruido para se basear em uma dieta vegetariana. Humanos não têm absolutamente nenhuma das características distintas anatômicas que os carnívoros ou até mesmo onívoros naturais têm.

Agora veja o quadro abaixo ( “The Comparative Anatomy of Eating”, do Dr.Milton Mills ), que compara as características típicas dos carnívoros, onívoros, herbívoros e humanos. Note as semelhanças de nossas características em relação aos herbívoros:

MÚSCULOS FACIAIS

CARNÍVORO Reduzidos, para permitir uma abertura maior

ONÍVORO Reduzidos

HERBÍVORO Bem desenvolvidos

HUMANO Bem desenvolvidos

MASTIGAÇÃO

CARNÍVOROS Nenhuma; engole comida por inteiro

ONÍVOROS Engole comida por inteiro e/ou a esmaga

HERBÍVORO Mastigação extensiva necessária

HUMANO Mastigação extensiva necessária

MOVIMENTAÇÃO DA MANDÍBULA

CARNÍVOROS Cortante; Movimentação mínima para as laterais

ONÍVOROS Cortante; Movimentação mínima para as laterais

HERBÍVORO Boa movimentação lateral e de cima para baixo

HUMANO Boa movimentação lateral e de cima para baixo

SALIVA

CARNÍVOROS Não há enzimas digestivas

ONÍVOROS Não há enzimas digestivas

HERBÍVORO Enzimas digestivas de carboidratos

HUMANO Enzimas digestivas de carboidratos

DENTIÇÃO ( INCISIVOS )

CARNÍVOROS Curtos e pontudos

ONÍVOROS Curtos e pontudos

HERBÍVORO Achatados, grandes e em forma de espada

HUMANO Achatados, grandes e em forma de espada

DENTIÇÃO ( CANINOS )

CARNÍVOROS Longos, afiados e curvados

ONÍVOROS Longos, afiados e curvados

HERBÍVORO Curtos e não afiados/ou longos ( para defesa )/ ou nenhum

HUMANO Curtos e não afiados

DENTIÇÃO ( MOLARES )

CARNÍVOROS Afiados, cortante e em formato de lâmina

ONÍVOROS Lâminas afiadas e/ou achatadas

HERBÍVORO Achatados com elevações VX camada complexa

HUMANO Achatados com elevações nodulares

ACIDEZ ESTOMACAL

CARNÍVOROS Menor ou igual à PH de 1 com comida no estômago

ONÍVOROS Menor ou igual à PH de 1 com comida no estômago

HERBÍVORO PH de 4 ou 5 com comida no estômago

HUMANO PH de 4 ou 5 com comida no estômago

SISTEMA INTESTINAL

CARNÍVOROS De 3 à 6 vezes maior que o comprimento do corpo

ONÍVOROS De 4 à 6 vezes maior que o comprimento do corpo

HERBÍVORO De 10 até 12 vezes maior que o comprimento do corpo

HUMANO De 10 até 11 vezes maior que o comprimento do corpo

UNHAS

CARNÍVOROS Garras afiadas

ONÍVOROS Garras afiadas

HERBÍVORO Unhas achatadas ou casco sem garras, sem pontas

HUMANO Unhas achatadas

SUOR

CARNÍVOROS Suam pela lingua

ONÍVOROS Suam pela lingua

HERBÍVORO Suam pela pele

HUMANO Suam pela pele

Para aqueles que não entendem a diferença entre comer animais e comer plantas e vegetais:

Tudo na natureza está conectado. E devemos considerar portanto que cada objeto ou ser vivo tem sua identificação natural própria. Portanto, assim como um verme come um corpo em putrefação ou um tigre caça um coelho, um ser humano come frutas ou vegetais. Cada um dentro da sua natureza. O tigre não está cometendo nenhum pecado nem ato brutal dentro da cadeia alimentar da qual ele faz parte. Ilógico seria ver um coelho comendo um tigre ou um cavalo comendo um elefante. Eles seguem a natureza deles como herbívoros comendo cenoura, capim, etc. Como a natureza do homem não é carnívora, quando ele come carne ele está invadindo a natureza de outras entidades vivas, causando um desequilibrio na harmonia universal que deveríamos viver. Algumas pessoas podem argumentar que se oferecerem um pedaço de carne à um macaco ou à um ser humano, eles poderão comer a carne. Mas se você oferecer alguma fruta à um tigre ou à um cachorro, talvez eles também comam e nem por isso eles mudaram a natureza carnívora deles ( é até capaz do tigre, junto com a fruta oferecida por você, comer também a sua mão! ).

Mais um motivo para entender a diferença das plantas e dos animais: Hoje em dia, não há razão para acreditar que as plantas sentem dor, já que carecem de um sistema nervoso central, extremidades nervosas e cérebro. Se teoriza que a razão principal pela qual os animais têm a habilidade e experimentar dor é como forma de defesa própria. Se você toca algo que vai te causar dor, aprenderá da dor e deixará em paz no futuro. Já que as plantas não podem se mexer e não têm a necessidade de aprender a evitar certas coisas, esta sensação seria supérflua.

Desde o ponto de vista psicológico, as plantas são completamente diferentes dos mamíferos. Diferentemente de partes do corpo do animal, muitas plantas, vegetais e frutas podem ser colhidas sem resultar na morte da planta ou árvore.

Se a preocupação voltar-se ao impacto da agricultura vegetal no meio ambiente, uma dieta vegetariana continua sendo preferivel ao invés de uma dieta baseada em carne, porque a maior parte dos grãos e legumes criados hoje em dia são utilizados como alimento para gado. Ao comer vegetais diretamente ao invés de comer animais como vacas que consumem 16 kilos de vegetação para 1 kg convertido em carne, uma pessoa está salvando muito mais vidas de plantas e destruindo menos a terra.



Fontes de Pesquisa:

William C. Roberts, M.D., "Twenty Questions on Atherosclerosis," Baylor University Medical Center Proceedings, Apr. 2000 <http://www.baylorhealth.edu/proceedings/13_2/13_2_questions.html>.
Reuters Health, "Heart Disease Still Number-One Killer in U.S.," Cardiovascular News Center, 1 Jan. 2002 <
http://www.heartcenteronline.com/myheartdr/home/research-detail.cfm?reutersid=2199&nl=1>.
Elizabeth Somer, "Eating Meat: A Little Doesn't Hurt," WebMD, 1999 <
http://my.webmd.com/content/article/43/1671_50411>.
University of Iowa Health Care Center, "Protein: How Much Is Enough?" 1999 <
http://www.uihealthcare.com/topics/nutrition/nutr3301.html>.
John Robbins, M.D., Diet for a New America, Walpole, New Hampshire: Stillpoint Publishing, 1987, pp. 156-58.
Amy Ellis Nutt, "In Soil, Water, Food, Air," The Star Ledger, 8 Dec. 2003 <
http://www.factoryfarming.com/news_starledger.htm>.
Reuters, "CSPI: Seafood, Eggs Biggest Causes of Food Poisoning in U.S.," CNN.com, 7 Aug. 2000 <
http://www.cnn.com/2000/FOOD/news/08/07/food.poisoning.reut/>.




VOCÊ SABIA?

Propaganda enganosa - A McDonald´s, rede mundial de hamburgers, gasta milhões de dólares em campanhas de propaganda direcionada à crianças e jovens, tentando mostrar que seu produto é bom. Criaram até um palhaço chamado Ronald McDonald´s. Nos anúncios, ele mostra que os hamburgueres nascem como frutas e crescem em pacotes. Esse personagem era interpretado por Jeff Juliano que, ao inteirar-se da forma como o gado vive e é assassinado, abandonou o emprego milionário e tornou-se vegetariano.


Entre em contato conosco: voa@vivaosanimais.com.br


11111111100010001000100010000000101000001100110010100000101010101111000011001100101010101000000010000000111100001100000010000000
HomeNão somos carnívorosRazões para mudarCrueldadeDe olho na midiaEntre em contatoIntro em Flash